belgian streets

IMG_5659IMG_5722IMG_5661IMG_5672IMG_5718IMG_5676

IMG_5662

dress: Pull&Bear | shirt: Stradivarius | sneakers: Adidas | earrings: Urban Outfitters

Durante os dias que estive na Bélgica, este outfit foi sem dúvida um dos mais confortáveis. Este little black dress já tens alguns aninhos mas continua a ser um dos meus preferidos, especialmente pela sua gola halter (que infelizmente não dá para ver porque não tirei a camisa). A camisa tambem é antiga mas tem um verde e um corte que eu adoro, por isso ainda a uso imesas vezes. Naquele dia em Bruxelas estava calor, mas algum vento, por isso este foi mesmo o conjunto ideal. Pelas ruas de Bruxelas encontram-se com muita frequência bonitas paredes pintadas com personagens de banda desenhada. Esta, onde decidi fotografar, é uma das minhas preferidas. Espero que gostem.

//

During the days I was in Belgium, this outfit was one of the most comfortable. This little black dress is old, but it still is one of my favorites, especially because of its halter collar (unhappily you can’t see it in this photos). The shirt is old too, but I love this green and his cut, so I continue to wear it a lot. In that day in Brussels was hot but windy, so this outfit was the best. On Brussels’ streets are beautiful comic paintings on the walls. This painting is one of my favorites. I hope you like it.

T.

a autenticidade na era do fast fashion | artigo completo

Escrevi para a edição de Junho da revista online Nude Magazine um artigo acerca da era do fast fashion. A edição saiu à cerca de duas semanas e nessa altura partilhei com vocês a novidade apenas no meu instagram. Hoje deixo aqui o artigo completo (para a revista alguns parágrafos tiveram de ser retirados por falta de espaço). Espero que gostem e que deixem a vossa opinião nos comentários.

//

I wrote an article for the June edition online magazine Nude Magazine about fast fashion. This edition came out a few weeks ago and in that time I only shared the news on my Instagram page. Today I show you here the complete article (for the magazine some paragraphs were removed for lack of space). Hope you like it and let your opinions on the comments’ box. (Sorry, but the article it’s only in portuguese!).

T.

Conheço-me com um hábito peculiar, olho as pessoas de cima a baixo. Ou melhor, olho para as suas roupas. E vou ao pormenor. Aquilo que escolhes vestir diz muito de ti. Esta segunda pele que podes escolher diz ao mundo aquilo que és, aquilo que pretendes ser ou aquilo que queres que o mundo ache que és.

Quando há cerca de 20 anos chegavam às lojas apenas duas novas coleções, Primavera/Verão e Outono/Inverno, víamo-nos num determinado ritmo de consumo. Agora que temos Mid Season Collections todas as semanas, vemo-nos num ritmo um tanto ao quanto alucinado. É cada vez mais difícil mantermos uma relação sólida com a nossa roupa, estimá-la e vesti-la durante mais tempo porque estamos constantemente expostos às novidades. É cada vez mais difícil optar pela qualidade em vez de quantidade. Do dia para a noite, a peça que comprámos “ontem” (e que usámos apenas uma vez) fica de lado porque hoje saiu uma nova coleção ainda mais incrível. Cada vez compramos mais roupa e cada vez a usamos menos. Os nossos roupeiros estão saturados. E andamos nisto. Andamos neste consumismo a uma velocidade desmedida. E eu, vítima, me confesso.

No meio desta correria perdemos muito. Perdemos dinheiro, os preços baixos praticados pelas grandes cadeias de fast fashion criam a ilusão que temos maior poder de compra. Perdemos autenticidade, com tanta oferta e diversidade é cada vez mais difícil definir e maturar o nosso próprio estilo, aquilo que caracteriza o nosso “eu”. É cada vez mais difícil perceber aquilo que nos faz sentir realmente bem e aquilo que espelha a nossa personalidade. E porquê? Porque é este o propósito do fast fashion: fazer-nos consumir cada vez mais através da diversidade constante a preços baixos. Não, isto não desculpa o nosso consumismo excessivo, mas é de certa forma tentador e manipulador. E facilmente surge a questão: mas afinal quem suporta este boom de novas coleções?

A indústria fast fashion tem a si associada um custo de elevado impacto ambiental e social. É desmedido. É brutal. E nós não fazemos a mais pequena ideia. No documentário The True Cost (Netflix) ficamos com a noção desta realidade e de quanto a falta de transparência das grandes marcas oculta uma verdade cruel. São pessoas como nós, que em condições desumanas fazem aquilo que vestimos. São jovens que trabalham 14 horas e recebem menos de 3 dólares por dia. Trabalham em condições miseráveis pondo em risco as suas próprias vidas e a sua saúde.

Nesta indústria parece-me possível que sejamos nós a ditar as regras. O nosso ritmo de consumo influencia o mercado e tenho a certeza que se optarmos por escolhas mais conscientes e sustentáveis conseguimos ter impacto. Podemos começar, por exemplo, por valorizar a qualidade em vez da quantidade. Ou optar por materiais orgânicos, não prejudicais ao ambiente e à nossa própria pele. Ou ainda, por exemplo, optar pelo vintage e pela segunda mão. Em tempos o Macklemore já dizia e bem “one man’s trash is another man’s treasure”.

Não me parece difícil abrandar um bocadinho e sermos mais ponderados. Por nós, pelo mundo, pelos outros e pelo amor que temos pela moda.

Teresa Silva

Outfit Idea #12

Apresentação_outfit_idea_junepptx

1. here | 2. here | 3. here | 4. here | 5. here

 

This post is an outfit suggestion for the warm months that will come but also my wishlist for the month of June (my month!). When I think about buying new clothes I cannot avoid these tones: sand, raw, camel, whites e then the fabrics: linen and viscose. More than all of this, what I want so badly are these Birkenstock, to me the most comfortable and cool sandals ever! I hope you like my suggestions.

//

Este post, para além de ser uma sugestão de outfit, é um bocadinho a minha wishlist para o mês de Junho (o meu mês!) e para os meses quentes que se avizinham. Quando penso em comprar peças novas não me saiem da cabeça estes tons: tons areia, crus, beges, brancos, e depois os linhos e as viscoses.  Mais que tudo isto, o que quero mesmo comprar são umas Birkenstock, para mim são as sandálias mais confortáveis e cool de sempre! Espero que gostem das minhas sugestões.

T.

this blazer has a story

IMG_4212

IMG_4228

IMG_4278

IMG_4232

IMG_4218

IMG_4237

IMG_4202

IMG_4240

IMG_4320

blazer: vintage | t-shirt: Les Coyotes de Paris | jeans: Pull&Bear | sneakers: Adidas

 

This blazer has a story. About 8 years ago I found blogosphere and I started being an assiduous reader of fashion blogs. And I was excited about vintage (in fact, I’m still excited!). I was excited about my mom’s clothes when she was my age and with the clothes that my grandma did to her.

I remember that the girl of one of the first blogs that I started to follow at that time, used to wear a lot of vintage, oversized blazers, plisse skirts and silk blouses. I confess that I no longer remember the blog’s name and today it doesn’t exist anymore. Meanwhile, she decided to sell some of her clothes and this yellow blazer was one of them. Vintage, good cut, a little oversized and yellow. Yellow!! A yellow piece is a strong piece, a yellow blazer is THE PIECE!

I asked my grandma to sew white fabric into the sleeves to show the detail when bending them. That detail was a trend at the time, but I still like it. I wore this blazer a lot, specially during the warm months. Then I gave it a break, don’t know why. But now I look at it the same way again. It’s a huge piece that does everything. It’s the piece that transforms any basic look into a beautiful one. And the proof of this is that here I’m wearing it with jeans and a basic white tee. Easier it’s difficult. I hope you like it.

//

Este blazer tem uma história. À cerca de 8 anos descobri a blogosfera e comecei a ser leitora assídua. Maioritariamente blogues de moda. E andava entusiasmada com o vintage (aliás, ainda ando), andava entusiasmada com as roupas da minha mãe quando ela tinha a minha idade e com as roupas que a minha avó lhe fazia.

Lembro-me que a rapariga por detrás de um dos primeiros blogues que comecei a seguir usava imenso peças vintage, blazers largos, saias plissadas, camisas de seda, etc. Confesso que já não me lembro do nome e hoje o blogue já não existe. Entretanto ela decidiu vender algumas peças que usava e este blazer foi uma delas. Vintage, bom corte, um pouco oversized e amarelo. Amarelo!! Uma peça amarela é uma peça forte, um blazer amarelo é A PEÇA!

Pedi à minha avó que forrasse as mangas com tecido branco para aparecer na dobra da manga, era um detalhe que se usava muito e eu ainda continuo a gostar. Usava o blazer imenso, especialmente nos meses mais quentes. Depois dei-lhe uma pausa, não sei bem porquê. Mas agora voltei a olhar para ele da mesma maneira. É uma peça que faz tudo. É a peça que transforma qualquer look básico e simples num look bonito, e a prova disso é que aqui estou a usá-lo apenas com uns jeans e uma t-shirt branca. Mais fácil é difícil. Espero que gostem.

T.

wrap dress

IMG_4005

img_3964.jpg

img_4045.jpg

IMG_4094

IMG_3988

IMG_4117

IMG_3957

 

IMG_4091

dress: Rue Stiic | sneakers: Converse All Star

 

 

Spring and Summer mean joy and simplicity. The long and warm days make me think about dresses. The piece that, to me, represents this season. The comfortable, fresh and easy to wear kind of piece. The pretty and uncomplicated piece. The kind of piece that is in every store with a million of colors, patterns, cuts, and lengths.

The dress of today’s post is an example of that. It’s a second-hand dress that I bought in an Open Closet at Lx Factory two weeks ago. I didn’t have any wrap dress so this one caught my attention immediately. For their cut, colors, and fabric, really fresh, comfortable and pretty. I hope you like it.

//

Para mim a chegada da Primavera e do Verão, que traz o bom tempo, os dias longos e as manhãs frescas e cheias de sol é sinónimo de alegria e simplicidade. E quando penso nisto, penso em vestidos. A peça que, para mim, representa esta temporada. Aquela peça comfortável, fresca e rápida de vestir e conjugar. Aquela peça bonita e descomplicada. Aquela peça que há em todas as lojas com milhares de cores, padrões, cortes e comprimentos.

O vestido do post de hoje é um exemplo. Comprei-o em segunda mão num Open Closet que aconteceu no Lx Factory à cerca de duas semanas atrás. Eu não tinha nenhum wrap dress e este chamou logo a minha atenção, pelo corte, pelas cores e pelo tecido. Super fresco, comfortável e bonito. Espero que gostem.

T.